É PRECISO DESENVOLVER TIMES EMPREENDEDORES COMO DESENVOLVEMOS NEGÓCIOS INOVADORES?

By | 2018-10-16T12:03:20+00:00 16/10/18|comportamento, empreendedor|

Será que as organizações já perceberam o quanto o desafio de sobreviver no mercado atual está diretamente condicionado a uma transformação cultural e também ao desenvolvimento de equipes mais empreendedoras? Essa é uma pergunta que poderia ser respondida verificando quais são os tipos de investimentos e estratégias que as empresas mais competitivas têm feito nesse aspecto.

Nas últimas décadas, vimos crescer a quantidade de programas e processos criados para desenvolver negócios, seja para torná-los mais competitivos, mais eficientes, ou mais inovadores. Assim, de tempos em tempos, surgem novidades no mercado e com isso acontecem os impactos em todas as dimensões. Já tivemos a primeira onda que precisava entender a forma de produzir e diminuir custos; a segunda onda que cuidava melhor da qualidade nos processos e da competitividade; e também uma terceira, em que focamos em formas de solucionar problemas, de ter escalabilidade e se tornar um negócio global, sem perder de vista o cliente e suas necessidades.

Tudo isso indica que o mundo está se tornando cada vez mais competitivo, cada vez mais veloz em termos de mudanças e novidades, e mais, que o mundo está ficando mais exigente. Não ao acaso que todos anos cresce o número de investimentos em negócios inovadores, em modelos de negócios escaláveis e está todo mundo de olho nas novidades tecnológicas, à espera do nascimento de novos “unicórnios”, como têm sido chamados esses negócios que chegam a valer bilhões de dólares.

A GESTÃO GLOBAL NÃO É APENAS FOCADA EM MODELOS DE NEGÓCIOS

Em meio a tudo isso, surge o conceito de “gestão global”, ou de “gestão da economia global”, já sugerida por Peter Drucker alguns anos atrás. Essa ideia chamou atenção para algo antes tratado de uma forma diferente, apontando que um dos grandes diferenciais do século seria sim as pessoas, os denominados “talentos”. Isso quer dizer que, ao passo que a gestão não fosse mais local, e sim global, nasceria a necessidade de inovações e mudanças constantes. Ao que parece, ele estava mesmo certo, e não é muito difícil perceber o valor que a inovação e a criatividade ganharam em pouco tempo. Hoje as empresas mais competitivas, não por acaso, são também as empresas mais inovadoras. E certamente, podemos deduzir que são as empresas em que as pessoas estão mais preparadas para promover e gerir inovação.

Nesse cenário, o que podemos concluir é que as empresas que querem garantir o seu espaço no mercado vão precisar sim buscar formas de consumir as novas metodologias de negócios, precisarão ganhar velocidade em suas mudanças, e mais do que ter qualidade e eficiência, terão de serem como fábricas de inovações, seja qual forem seus ramos e posicionamentos mercadológicos. E dentro desse pacote, as empresas necessariamente precisarão consumir uma cultura que favoreça a transformação digital, e isso pode e deve ser tratado tão sistematicamente como estamos fazendo na busca de modelos de negócios e soluções inovadoras.

Está bastante difundido e claro que a transformação cultural das empresas que querem inovar é o primeiro passo, afinal, a cultura de uma empresa determina os tipos e produtos comportamentais que veremos acontecer naquele ambiente. E o que o mercado está pedindo nesse momento é exatamente algo que só pode ser alcançado e produzido via o comportamento das pessoas: soluções inovadoras.

AS EMPRESAS QUEREM, MAS SABEM QUE É UM GRANDE DESAFIO

Nesse cenário o que vemos é uma demanda alta por parte das empresas para transformarem suas culturas em algo que possa não só dar condições para que as pessoas sejam mais empreendedoras e inovem, como também, para que existam as condições em que as pessoas permaneçam nas suas empresas. E reconhecer a necessidade de se ter uma equipe empreendedora nos parece ser a atitude mais sensata e segura nesse contexto. Equipes empreendedoras tendem a ser mais adequadas dentro de ambientes que exigem mudanças constantes e inovações em abundância. Tudo aponta para o cenário em que as ideias inovadoras serão os melhores e mais valiosos produtos do mercado.

Sendo assim, temos sinais claros de que o mercado está sendo mais bem dominado por empresas que possuem já equipes empreendedoras. Afinal, essas equipes estão liderando a mudança comportamental necessária para que as organizações garantam um espaço nesse oceano de oportunidades e conquistem os resultados que tanto elas desejam. Já estamos no tempo em que uma equipe empreendedora não representa mais um diferencial para as empresas, mas sim, representam sobrevivência. E talvez a única forma de sobrevivência.

About the Author:

Marina Medonça
Designer de Comportamento e Cultura | Pesquisadora no Núcleo Tropos de P&D