Quando pensamos em um processo de aceleração de um negócio ou projeto, é muito comum que as primeiras coisas que venham à cabeça sejam as ideias, o modelo de negócio e as metodologias que serão utilizadas para tirar isso tudo do papel. Mas será que não estamos deixando de olhar para uma parte importante da geração de qualquer negócio, que são as pessoas e seus comportamentos?

Já podemos perceber que, dentro do processo de aceleração, além da parte técnica, é essencial desenvolver as habilidades e comportamentos das pessoas que estão na liderança. Não é incomum ouvirmos falar que um negócio não deu certo por causa do timing, por falta de investimento, porque a ideia não é boa, entre tantos outros motivos que, claro, contribuem para uma iniciativa não obter sucesso. Mas, será que o problema foi somente técnico? Será que o que aconteceu não foi uma carência de habilidades específicas na pessoa ou no time que estavam à frente desse negócio?

Desenvolvendo as habilidades essenciais ao empreendedor de inovação

Já estivemos frente a frente com projetos onde foram identificadas lacunas comportamentais importantes, onde todo o restante (ideia e recursos técnicos) eram favoráveis, mas mesmo assim a proposta não conseguia caminhar. Por esses e outros motivos é importante que exista uma pessoa focada em identificar os comportamentos e habilidades empreendedoras necessárias às pessoas para que elas possam obter sucesso que almejam dentro de seu projeto ou negócio.

O papel do agente de comportamento (que é como chamamos a pessoa responsável por acompanhar o desenvolvimento comportamental do empreendedor aqui na TroposLab) é trazer um olhar sensível e sistemático para acompanhar os empreendedores de inovação durante todo o processo de aceleração, identificando quais dessas habilidades essenciais e características o empreendedor, de forma individual, ou o time empreendedor, precisa desenvolver para que possam obter o melhor resultado possível dentro desse processo. Esse acompanhamento comportamental é feito baseado em uma abordagem da Psicologia, chamada Análise do Comportamento e, a partir daí, são feitas todas as análises das contingências comportamentais que tornam possível descrever e analisar comportamentos de forma sistemática, garantindo um rigor metodológico ao processo. No entanto só identificar não é o suficiente. Após a identificação dessas contingências comportamentais, intervenções são criadas para que as habilidades possam ser desenvolvidas de forma estruturada e eficiente, gerando uma mudança profunda no empreendedor e um alto impacto no desenvolvimento do projeto ou negócio.

16 habilidades essenciais ao empreendedor de negócios inovadores

Através das pesquisas realizadas pelo nosso Núcleo P&D em parceria com a UFMG, já identificamos 16 habilidades empreendedoras nos ambientes de inovação que são consideradas essenciais para o desenvolvimento dos negócios. São elas:

  1. trabalho em equipe;

  2. liderança;

  3. resiliência;

  4. estabelecer metas;

  5. criatividade inovadora;

  6. monitoramento sistemático;

  7. rede de relações;

  8. planejamento;

  9. persistência;

  10. empatia;

  11. visão de oportunidades;

  12. autoconfiança;

  13. comprometimento;

  14. assumir riscos calculados;

  15. habilidade de negociação;

  16. flexibilidade.

Com esse trabalho conjunto entre agentes de comportamento, agentes de aceleração e empreendedores, o desenvolvimento tanto técnico quanto comportamental vai se entrelaçando ao longo do tempo, o que garante aos empreendedores habilidades essenciais, que transformarão suas vidas de forma contínua, uma vez que o mundo respira cada vez mais oportunidades e ambientes de inovação. Dessa forma, é muito importante acompanhar de perto essas competências, que serão necessárias cada vez mais no dia a dia de todas as pessoas que algum dia sonham em impactar um mundo em constante inovação.

Para saber mais sobre os estudos do comportamento empreendedor, acompanhe nosso blog e redes sociais!