Poucas vezes na história humana passamos por transformações tão profundas e que impactam em tantos aspectos de nossas vidas como agora, no que chamamos Era Digital. A tecnologia tem possibilitado todas essas mudanças e empurrado as organizações para um processo de transformação radical.

O Aspecto Tecnológico e a Inovação

A evolução científica e tecnológica vem acelerando a cada ano. Até o público comum  já pode notar a queda do preço da tecnologia. Esse processo tem possibilitado a ampliação no uso dessas tecnologias e isso significa que novos negócios estão surgindo, novos produtos estão sendo criados e o mercado vem se tornando mais e mais competitivo.

A disseminação das tecnologias também tem mudado processos e serviços, e novos negócios muitas vezes já nascem com um modelo operacional totalmente diferente, fazendo uso de todo tipo de tecnologia para se manter rápido, leve e eficiente. Gestão ágil, desenvolvimento ágil, startups, fazem parte desse contexto. Mineração de Dados, Internet das Coisas, Inteligência Artificial por exemplo têm possibilitado novas formas de gerir e tomar decisões dentro das empresas ou até de interagir com clientes.

O Aspecto Comportamental da Era Digital

Nosso comportamento é moldado pelo ambiente, e um ambiente intensivo em uso da tecnologia, promotor de experiências focadas no cliente, difusor de informações e viabilizador de novas formas de interação social tem mudado nossa forma de comportar, nossos valores, nossos desejos e ansiedades.

Como consumidores estamos cada vez mais exigentes, como minorias estamos cada vez mais articulados e fortes, como sociedade cada vez mais diversa, como seres humanos somos cada vez mais ciborgues.

Ciborgues são organismos que fazem uso de mecanismos artificiais para melhorar suas capacidades.

O confronto da Era Digital com as organizações tradicionais

Dentro das organizações tradicionais temos estruturas e mecanismos físicos e sociais de peso que retardam a chegada de todas essas mudanças. Organogramas, processos, governança, padrões de comportamento, tudo parece resistir à fatídica revolução digital.

As organizações usam sim a tecnologia, porém incorporam em sua maioria com demasiada lentidão, ganham produtividade internamente, mas nunca parece suficiente para superar os desafios competitivos do mercado e finalmente trazer ganhos de rentabilidade…

E nessa batalha, as pessoas, cada vez mais sob pressão, adoecem dentro das empresas. Muitas gerações não entendem o mundo do lado de fora, e se apegam ao ambiente onde sempre se sentiram confortáveis e dominantes.

O que é, então, a Transformação Digital

Esse termo tem sido usado há mais de 10 anos. Inicialmente aplicado a organizações que digitalizaram seus processos obtendo um salto de produtividade, hoje é nítido que remete a um processo muito mais complexo.

Como ainda não se estabeleceu um consenso sobre o termo, e acredito que não irá se estabelecer. Vejo que a Transformação Digital pode ser traduzida em:

Um processo de EVOLUÇÃO ORGANIZACIONAL onde:

1)   A tecnologia é utilizada para substituir mecanismos analógicos e humanos gerando produtividade;

2)   A tecnologia é utilizada para gerar inteligência que antes não era possível sobre o negócio, possibilitando novas formas de governança, projeções, e assertividade;

3)   A cultura organizacional assume novos valores e padrões de comportamento, mais alinhados com referências do mundo atual (descentralizado, diverso, horizontal… impossível descrever todos os aspectos);

4)   A convergência de novos padrões culturais e novas tecnologias possibilita às organizações descobrir e praticar novos modelos de negocio e novos mercados, gerando novas linhas de receita.

Notem que nessa definição a Transformação Digital não é puramente tecnológica. Pelo contrário, as maiores oportunidades e a maior chance de sobrevivência das organizações tradicionais está justamente na convergência entre uma cultura coerente com os novos tempos e o uso inteligente da tecnologia.

Se concordamos com isso, podemos logo concluir onde está o maior desafio das empresas, certo?

Porque tecnologia nós podemos comprar, mas como as organizações tradicionais vão conduzir um processo sistemático de transformação cultural? Como podemos produzir inovação comportamental?

Eu confesso que tenho muita esperança e um bom conhecimento de cultura e comportamento pra dizer que sim, é possível, mas vou deixar você com a pergunta por enquanto. Já vimos porque você não deve subestimar esse tema.