Ao ler a palavra “inovação”, o que vem à sua cabeça? Me arriscaria dizer que seriam algumas coisas como transformações, ambientes tecnológicos, startups e, porque não, avanços em busca de uma sociedade melhor. Mas, o que costumamos esquecer ou ignorar é que a inovação só é possível a partir das pessoas. São elas que irão buscar por novas formas de realizar algo, são elas que constituem os ambientes, os modificam e são modificadas por ele. São pessoas que criam e executam ideias que hoje fazem diferença na vida de muitas outras e, obviamente, dependemos delas para seguir na esperança de termos um coletivo cada vez melhor. No entanto, inovação não se resume a somente essas coisas que citei, passa por muito mais, é um universo novo que está sempre em expansão, graças às novas ideias e transformações que, adivinhem, as pessoas podem criar.

O impacto pessoal

Muitos só terão contato com desenvolvimento de algo inovador em ambientes de inovação. E por ambientes de inovação estamos falando de startups, programas de aceleração, hubs, coworkings etc. Esses ambientes geram impactos, e um deles é a nível pessoal. 

O desenvolvimento pessoal é uma busca constante que perdura ao longo de toda vida e se desenvolver em ambientes de inovação requer o desenvolvimento de habilidades diversas, que já foram citadas em nosso post sobre “Como o entendimento do comportamento empreendedor é fundamental para o desenvolvimento de negócios em ambientes de inovação”. No entanto, esse desenvolvimento não gera impacto só no trabalho. A habilidade desenvolvida nesse ambiente gera impactos em vários âmbitos da vida pessoal, como por exemplo no desenvolvimento de projetos pessoais, planejamentos, resiliência e adaptação à mudanças que, querendo ou não, estão presentes na vida de todos nós constantemente, em nossos relacionamentos interpessoais, objetivos de vida etc. Esse impacto tem uma importância de poder não só criar um profissional melhor, com habilidades que serão usadas no seu trabalho diariamente, mas também uma pessoa melhor. Pessoa essa que consiga impactar a sociedade de uma forma mais abrangente, com um autoconhecimento desenvolvido, possibilitando a execução de suas atividades profissionais e pessoais de forma mais eficiente e produtiva. E dando também uma perspectiva diferente para a resolução de problemas a partir de experiências vividas no trabalho.

Outro ponto importante é o propósito, essa palavrinha que é difícil definir racionalmente e entra muito no âmbito dos sentimentos. Definir seu propósito é importante e ambientes de inovação também ajudam a definir o porque você trabalha. Geralmente esse propósito vai além do salário e benefícios que a pessoa irá receber e passa por questões de crenças e o que você enxerga como sendo o motivo para se levantar da cama e executar seu trabalho. Você já pensou qual é o seu?

O impacto profissional

Aqui o propósito também é imprescindível, mas depois que você sabe porque você trabalha, fica mais fácil entender quais são os impactos do seu trabalho e o que você pretende entregar para o mundo com ele. A inovação hoje em dia não é uma opção caso você queira se manter no mercado, mas sim uma realidade. Cada vez mais as empresas buscam pessoas inovadoras, independente da área de atuação. Porque no mundo atual não faz mais sentido se manter estático, tudo está em constante mudança.

A inovação ajuda a desenvolver profissionais com habilidades de conexão e que enxergam situações de perspectivas diferentes; questionadores, que busquem diminuir ou resolver gargalos e aproveitar oportunidades, conectar ideias e pessoas, sem medo de errar e, mesmo errando, que aprenda com os erros, os corrigindo e colocando o novo aprendizado em prática. 

Esse é o profissional inovador, porque está sempre em busca de algo novo e profissionalmente isso o faz ser um profissional disputado, porque consegue causar impacto na cultura, pessoas, processos e resultados por onde passa.

O impacto na empresa

Mas não estávamos falando de pessoas? Sim, sua empresa é formada de pessoas, todas são e provavelmente sempre serão. Pode parecer extremamente óbvio, mas lembra o que eu falei no início desse texto? Às vezes esquecemos que são elas que estão por trás de tudo. Os impactos a partir de aí são bastante mensuráveis.

Vamos falar um pouco de cultura. Já parou para observar quais os comportamentos comuns entre as pessoas que trabalham com você? Se não, sugiro que faça esse exercício. Anote quais os comportamentos você vê ao longo de dois ou três dias de forma recorrente e pense como eles impactam nos processos e nos resultados de seu setor e da sua empresa como um todo. Existe uma grande possibilidade de você concordar com esses comportamentos, isso porque os comportamentos são o que constituem a cultura da sua empresa. Eles são a forma mais tangível de você saber ou não se sua empresa tem uma tendência pró-inovação ou anti-inovação. Ter uma gama de profissionais abertos ao aprendizado, resilientes, compartilhadores de conhecimento e que veem propósito no que fazem é uma fórmula bastante direcionadora à uma empresa com uma forte cultura de inovação. Sem essa cultura forte e consolidada, as ferramentas e tecnologias passam a ser inúteis pois o resultado será minado pelo comportamento.

Dessa forma, o impacto cultural e constante sendo consolidado ao longo do tempo gera uma empresa que não tem medo do futuro, conseguindo se adaptar às mudanças e gerar impactos cada vez maiores não só nos seus colaboradores mas também na sociedade como um todo.

Acelerando pessoas

É extremamente importante entender que inovação é, primariamente, sobre pessoas e o ato de inovar são as consequências de seus comportamentos. A Troposlab entende que o comportamento e cultura são primordiais para a manutenção e disseminação de inovação nos mais diferentes ambientes. Por esse motivo possuímos um Núcleo de Pesquisa onde desenvolvemos tecnologias comportamentais atreladas à aceleração, desenvolvendo pessoas para que possam continuar inovando e causando impactos pessoais, profissionais e em suas empresas. Para saber mais sobre o núcleo e nossas metodologias de aceleração, não deixe de acompanhar semanalmente o blog.