Antes de começar a ler o texto, gostaria que você parasse 5 segundos e pensasse qual foi a última grande inovação que você viu no mercado?

Pensou?

Provavelmente você pensou em um produto ou serviço.

Esse é o tipo de inovação mais tangível para as pessoas, mas está longe de ser o único tipo de inovação ou o que traz mais resultados para as empresas. Existem várias formas de se classificar os tipos de inovação, mas em geral esses tipos podem ser classificados em um dos 4 tipos abaixo:

  • Inovação de oferta – Novos produtos ou novos serviços que serão entregues ao seus clientes
  • Inovação de processo – Novos processos produtivos ou administrativos internos da sua empresa ou modificações nos processos existentes
  • Inovação de entrega – Novos formatos de chegar no seu cliente ou entregar o seu produto
  • Inovação de modelo – Novos modelos de negócio ou de receita que mudam a forma que o seu negócio interage com os clientes

A resposta do porque geralmente associamos inovação com novos produtos é óbvia, é aquilo mais próximo dos clientes, aquilo que eles mais vêem e é o que tangibiliza a solução para nós. Dentro do mundo do design de serviços existe uma frase muito boa para resumir produtos:

“Produtos são avatares desenhados para entregar serviços”

Nós não queremos os produtos, queremos os serviços que eles entregam, queremos resolver os problemas que eles resolvem, mas são os produtos o que nós enxergamos.

No entanto, as inovações em oferta, embora sejam aquelas que os clientes mais vêem não são necessariamente as que entregam mais valor para a empresa. Inovações em modelo são as grandes disruptivas nos mercado na maioria das vezes. Com certeza a empresa que chegar no primeiro carro autônomo ganhará muito dinheiro, mas será a empresa que inventar um modelo de negócio escalável que irá difundir essa tecnologia pelo mundo e assim ganhar muito mais.

Vamos pegar o exemplo de uma empresa conhecida por todos e com um histórico de inovação longo o suficiente para avaliarmos exemplos: a Apple.

Quais foram os produtos mais inovadores da empresa:

  • Apple II – Um dos primeiros computadores pessoais, mais intuitivo e com melhor design do que os seus concorrentes na época atraiu a atenção de novos usuários de computadores
  • iPod – Tocador de MP3 (músicas) da Apple que surgiu depois dos seus concorrentes mas virou um ícone do mercado e os seus concorrentes ficaram conhecidos como o iPod da empresa x.
  • iPhone – Revolucionou o mercado de telefones celulares e ditou o caminho seguido por praticamente todos os smartphones a partir de então
  • iPad – Criou um outro produto, intermediário entre smartphones e notebooks, unindo características de ambos os mundos

Mas quais foram os modelos inovadores associados a esses produtos que fizeram toda a diferença:

  • Apple II – Até então o foco das vendas de computadores era direcionado a escritórios. O Apple II focada em um design inovador justamente porque queria levar o computador para a casa das pessoas. Local onde o design do produto era muito mais valorizado. A grande inovação portanto foi de foco em um novo tipo de mercado até então pouco explorado.
  • iPod – Veio junto com o elemento verdadeiramente inovador desse produto que foi o iTunes. Novo modelo de precipitação de músicas que mudou de vez a indústria da música ajudando para a falência do modelo de vendas de discos, CDs e afins.
  • iPhone – Mais do que uma tela touch o iPhone trouxe o conceito de aplicativos para a nossa vida. Ficando com um percentual das vendas de cada aplicativo a Apple em uma só tacada criou uma nova fonte de receita e tornou o seu produto uma plataforma para milhares de desenvolvedores e assim tornou seu produto infinitamente mais atrativo que os seus concorrentes até que eles a copiassem com o android.
  • iPad – Único da lista que não é claramente associado com um modelo de negócios inovador, e talvez exatamente por isso não tenha a relevância em vendas do que os seus companheiros na lista de inovações mais importantes da história da empresa.

Veja a figura abaixo e olhe a relevância do iPad nesse cenário:

E não é exclusividade da Apple olhar para as suas receitas e enxergar as inovações em modelos de negócio como algo super importante.  A Amazon criou seu império baseado não em um produto (já existiam milhares de e-commerce) mas em um modelo, apostar no long tail (venda de produtos pouco encontrados nas lojas físicas) ao invés do tradicional foco em blockbusters (produtos mais procurados) que era vigente em 99% do varejo até então.

A Alphabet (grupo que engloba a Google) tem até hoje boa parte da sua receita provinda dos serviços de propaganda direcionada que só são possível porque na prática a Google não vende propaganda e sim acesso indireto aos dados de seus clientes.

Que é inclusive a mesma estratégia utilizada pelo Facebook. O produto (plataforma) em si, passou anos sem gerar nenhum tipo de receita antes de encontrarem um modelo que sustentasse a operação, o crescimento e gerasse lucro de verdade.

E por fim a Microsoft que mais do que um sistema operacional inovou nos seus modelos de receita junto com o mercado, saindo de venda de softwares para modelos de Saas (modelos de mensalidade de software para entregar os seus serviços).

Portanto, se você está começando o seu negócio ou tentando inovar dentro de uma empresa já consolidada, pense sim em novos produtos, mas mire sempre em modelos que suportem esse produto.

Por |2021-05-03T10:53:06-03:0006/08/2020|inovação|

Compartilhe! Escolha a sua plataforma!

Atuo no mundo da inovação desde 2008. Já atuei em incubadora, consultoria e aceleradora, acelerando mais de 900 startups. Sou formado em Ciências Biológicas e Especialista em Gestão, e por isso gosto de misturar mundos diferentes para trazer mais inovação para o meu dia-a-dia. Coordeno os programas da Troposlab e crio novas metodologias de aceleração, atuando diretamente com mais de 50 grandes empresas. Além disso, tenho um lado nerd (ficção científica, heróis, histórias de aventura, etc).
Ir ao Topo