10 habilidades essenciais para empreender com sucesso

Início/10 habilidades essenciais para empreender com sucesso

Já abordamos anteriormente aqui o entendimento da Troposlab sobre o que é o comportamento empreendedor. Isto é, o conjunto de competências e habilidades que são necessárias para que um empreendedor aumente as probabilidades de sucesso na realização de seu empreendimento, ideia ou projeto, atuais ou futuros. Também abordamos nossa visão sobre o ato de empreender, os tipos de empreendedor em termos de comportamento, e falamos um pouco sobre as diferenças entre habilidades técnicas e habilidades empreendedoras. Contudo, uma questão ainda pairou no ar: quais seriam exatamente essas habilidades essenciais para que uma pessoa possa obter mais chances de sucesso ao empreender?

Entenda nossa percepção atual quanto a elas: como afetam o ato de empreender, quais seriam as principais entre estas e os pilares sobre os quais tais habilidades se apoiam, bem como os estudos pregressos que levaram à teoria atual, e as possibilidades de evolução dos estudos sobre habilidades empreendedoras. 

Estudos pregressos: as teorias de David McClelland

Citamos anteriormente a importância do teórico David McClelland para o desenvolvimento atual das teorias sobre comportamento empreendedor. Entre os anos de 1951 a 1992, McClelland publicou uma série de estudos referentes à motivação humana, em especial, quanto ao ato de empreender, posteriormente focando em estudos sobre uma possível “personalidade empreendedora”. Suas duas contribuições mais notórias para os estudos sobre empreendedorismo, e que mais influenciam as teorias atuais sobre o tema, são a Teoria das Necessidades Adquiridas e a teoria sobre a existência de Características Comportamentais Empreendedoras (CCEs), inicialmente elencadas como Características de Empreendedores Bem-Sucedidos.  

A Teoria das Necessidades Adquiridas

A Teoria das Necessidades Adquiridas, consolidada por McClelland a partir de seu livro The Achieving Society (1961), infere que os humanos são motivados, independentemente de sua idade, sexo ou cor, por três necessidades básicas, podendo uma destas necessidades ser dominante em um indivíduo, tendo como base sua cultura e experiências de vida. São elas: 

  • Necessidade de realização

Isto é, de estabelecer e alcançar metas desafiadoras, se envolvendo em riscos calculados a partir de bons planejamentos, e buscando feedbacks sobre seus progressos e realizações;

  • Necessidade de afiliação

 Ou seja, de criar e manter relações sociais, visando fazer parte de um grupo, gerar colaboratividade, e desejando aceitação social;

  • Necessidade por poder

O que significa ser capaz de influenciar, persuadir e eventualmente ‘controlar’ pessoas, ter autonomia para tomar decisões em prol de um objetivo, visando vencer argumentos e competições, e desejando obter status e reconhecimento.

A Teoria sobre as Características Comportamentais Empreendedoras (CCEs)

Já a teoria sobre as Características Comportamentais Empreendedoras (CCEs), apresentada por McClelland a partir de seu texto Characteristics of Successful Entrepreneurs (1987), infere que existem três categorias de competências que são mais características em empreendedores bem-sucedidos, independentemente dos países em que se situam ou do tipo de negócio que conduzem. São estas:

  • Categoria de proatividade

Caracterizada pela iniciativa, onde o empreendedor faz coisas antes de ser demandado; e pela assertividade, onde o empreendedor confronta diretamente problemas com as pessoas e as orientam sobre o que devem fazer. Essa categoria se relaciona diretamente à necessidade por poder.

  • Categoria de orientação para realizações

Caracterizada pela visão e ação sobre oportunidades, onde o empreendedor busca oportunidades incomuns para começar um novo negócio, obter investimentos ou assistências; pela orientação por eficiência, onde este busca por maneiras de fazer as coisas mais rápido ou com menor custo; pela preocupação com uma alta qualidade de trabalho, relacionada ao desejo em produzir ou vender um produto de alta qualidade; pelo planejamento sistemático, onde busca dividir uma tarefa maior em tarefas ou metas menores, antecipando obstáculos e avaliando alternativas; e pelo monitoramento, onde busca desenvolver e utilizar procedimentos para garantir que o trabalho seja realizado e atenda aos padrões de qualidade definidos. Esta categoria se relaciona diretamente à necessidade por realização.

  • Categoria de comprometimento aos outros

Caracterizada pelo comprometimento ao contrato de trabalho, onde o empreendedor faz sacrifícios pessoais ou realiza esforços extraordinários para completar um trabalho, contribuindo com colegas/funcionários e tarefas para tal; e pelo reconhecimento da importância de relações de negócio, onde o empreendedor busca construir uma boa comunicação e relacionamentos amistosos com clientes e consumidores, enxerga relacionamentos pessoais como um recurso fundamental para o negócio, e prioriza uma boa reputação a longo prazo sobre ganhos a curto prazo. Esta categoria se relaciona diretamente à necessidade de afiliação

Cabe destacar que essas foram as características encontradas em empreendedores de sucesso de maneira mais proeminente em comparação com empreendedores ‘medianos’, a partir da amostra observada por McClelland, contendo empreendedores da Índia, Malawi e Equador. Contudo, ainda foram encontradas 6 outras características que estão presentes de maneira similar, tanto em empreendedores de sucesso quanto empreendedores medianos, que podem ser interpretadas tanto como menos relevantes para uma maior obtenção de sucesso, quanto como básicas ou essenciais para qualquer empreendedor em si. São estas:

  • A autoconfiança, onde o empreendedor expressa confiança em sua própria habilidade de completar uma tarefa ou encarar um desafio;
  • A persistência, onde busca repetir ações ou realizar diferentes ações para superar um obstáculo;
  • A persuasão, onde busca convencer alguém a comprar um produto/serviço ou prover investimento, sendo assertivo quanto à sua própria competência, confiabilidade ou outras qualidades pessoais ou de sua empresa;
  • O uso de estratégias de influência, onde age para desenvolver contatos de negócio, utilizando pessoas influentes como agentes para alcançar seus objetivos;
  • A expertise, possuindo experiência na mesma área de seu negócio, e habilidades em finanças, contabilidade, produção e venda antes de começar o negócio;
  • E a busca por informações, realizando pesquisas pessoais sobre como prover um produto ou serviço, consultando experts para receber orientações técnicas ou de negócio.

Nossa visão sobre as habilidades essenciais para empreender

Ambas as teorias de McClelland citadas anteriormente foram utilizadas durante certo tempo para justificar uma determinada “personalidade empreendedora” possivelmente inata, dados os poucos estudos sobre o desenvolvimento dessas “características” até então. No entanto, a partir de alguns estudos, especialmente aqueles com contribuições sob a ótica da Análise do Comportamento (ou Behaviorismo), pudemos identificar que, uma vez que tais ‘características’ se expressam a partir de comportamentos, e que comportamentos variam ao longo do tempo e, a depender, do contexto, ambiente e/ou desafio, a capacidade de emitir um comportamento com eficiência pode, então, ser aprendida, desenvolvida e/ou aprimorada a partir desses fatores. Logo, passamos a falar de habilidades e não de características pessoais inatas.

Neste caso, podemos definir as habilidades empreendedoras, portanto, enquanto comportamentos que cumprem a função de aumentar as chances de realizar algo de maneira a obter sucesso, sendo fundamentais para empreender eficientemente. Por serem comportamentos de múltiplas funções, ao contrário de habilidades técnicas, são generalizáveis a diferentes e múltiplos contextos, inclusive extrapolando o ambiente de trabalho. Como por exemplo, habilidades em planejamento geral, em formação e manutenção de relacionamentos, entre outras, que podem ser utilizadas para vários contextos do cotidiano.

Principais habilidades empreendedoras e seus pilares

A partir de nossos estudos na área de comportamento empreendedor, bem como nossas experiências atuando na capacitação de milhares de empreendedores, nós, do Núcleo de P&D Empreendedor da Troposlab, avançamos no desenvolvimento de conceitos e estudos sobre o tema, desenvolvendo melhor o conceito de habilidades empreendedoras e repensando, embasados nas teorias de McClelland e uma série de outros estudos sobre comportamento empreendedor, os pilares e categorias de tais habilidades. 

Dessa maneira, aliamos a Teoria das Necessidades Básicas e a Teoria das Características Comportamentais Empreendedoras aos nossos estudos e observações práticas, de maneira a elencar 10 principais habilidades empreendedoras, apoiadas sob 3 diferentes pilares: a motivação, a realização e a relação

Vamos conhecer, a seguir, sobre o que se tratam tais pilares e habilidades que consideramos essenciais para alguém que deseja empreender.

O pilar de motivação

Estar motivado é sentir-se disposto para seguir adiante no que se propõe; é acreditar no que faz e no que vai alcançar a partir disso, e ter interesse por esses possíveis resultados; é quando existem mais motivos para agir do que para não agir. Sendo assim, associados a tais atitudes e sentimentos, elencamos as seguintes habilidades:

  • Autoconfiança: é a habilidade de confiar em sua própria capacidade, especialmente na execução de uma tarefa difícil ou ao enfrentar desafios; conseguir manter suas crenças e opiniões mesmo mediante oposições ou resultados desanimadores.
  • Coragem para riscos: é a habilidade de saber calcular riscos, avaliando alternativas e possibilidades, mantendo o controle de uma situação de modo a controlar os seus resultados, buscando envolver-se em situações desafiantes, de risco moderado.
  • Comprometimento: a habilidade de manter comportamentos e esforços/ações que beneficiem a sobrevivência e constante desenvolvimento de sua organização/de seu projeto.
  • Persistência: é a capacidade de ação perante obstáculos e desafios, variando seu comportamento quando necessário, mas se mantendo firme rumo às suas metas e objetivos.

O pilar de realização

Entendemos as habilidades sob o pilar de realização enquanto as maneiras como o empreendedor busca aumentar a probabilidade de realizar algo, buscando descrever o que deve ser feito para atingir seus objetivos, e tudo aquilo que pode contribuir para isso (informações, estratégias, planos, técnicas etc.). Esse pilar é o resultado do repertório que o empreendedor possui para planejar, buscar oportunidades, aprender e criar com inovação.

  • Planejamento: é a habilidade em planejar atividades, tarefas e objetivos de maneira a estipular prazos e datas de execução, detalhando estratégias e modos de execução, e mantendo o controle sobre atividades presentes e futuras de seu negócio/projeto.
  • Busca por aprendizagem: habilidade que envolve a atualização constante de dados e informações sobre clientes, fornecedores, concorrentes e sobre o próprio negócio, bem como a busca por desenvolver pessoalmente habilidades técnicas e empreendedoras.
  • Busca por oportunidades: habilidade em identificar e também criar oportunidades de negócio, com novos produtos e serviços, ou mesmo visando possibilidades de expandir e agregar valor ao negócio/projeto que já possui.
  • Criação Inovadora: refere-se ao desenvolvimento de criatividade ao buscar resolver dores e problemas, criando soluções efetivas a partir da investigação a fundo de tais problemas.

O pilar de relação

Tratam-se das habilidades do empreendedor em interagir bem com outras pessoas, a fim de inspirá-las e conduzi-las na direção de realização de seus projetos e suas ideias. Isto é, a busca e orientação de contribuições a um projeto, ideia ou negócio, e geração de colaboratividade.

  • Formação de Rede: habilidade em formar conexões, criando e mantendo uma rede de relações de maneira a pôr-se em contato com pessoas-chaves que possam auxiliar no alcance de seus objetivos, bem como a expansão e desenvolvimento de seus negócios. Redes de relação são fundamentais não só para a identificação de oportunidades de negócio, mas também para a ampliação do impacto social e cultural de um empreendimento, auxiliando na disseminação sistemática de inovação.
  • Liderança: de maneira geral, trata-se da habilidade em influenciar indivíduos, reforçando-os positivamente quanto à execução de ações rumo ao alcance de objetivos determinados por este. Na prática, a liderança efetiva implica uma série de papéis e funções rumo ao sucesso do negócio, os quais exploraremos mais a fundo em futuros posts.

É importante denotar que nós, do Núcleo de P&D Empreendedor Troposlab, passamos por diversas adaptações sobre os conceitos de habilidades empreendedoras, ora adicionando novas habilidades, ora reduzindo o número de habilidades a partir do entendimento de algumas como parte do contexto de outras. Seguimos avançando constantemente em nossos estudos sobre comportamento empreendedor, evoluindo nossos conceitos, e buscando adaptar e identificar novas habilidades, bem como novos aspectos quanto ao comportamento empreendedor.

Como desenvolver, então, tais habilidades empreendedoras?

Mencionamos de maneira breve as 10 principais habilidades essenciais para empreender que levamos em consideração e os pilares aos quais se relacionam. Entretanto, cabe notar que essas habilidades se aplicam e se desenvolvem, na prática, de maneira mais complexa e aprofundada. Para entender como essas habilidades se aplicam às etapas do empreender e o cotidiano de empreendedorismo, bem como começar a desenvolvê-las melhor em si e/ou em sua equipe e importância de tal desenvolvimento, fique atento aos nossos próximos posts sobre comportamento empreendedor! Nesse meio tempo, sinta-se à vontade para consumir outros conteúdos sobre comportamento empreendedor produzidos por nós, do Núcleo de P&D Empreendedor Troposlab, em nosso blog.

E caso você queira desenvolver habilidades empreendedoras em sua equipe por meio de um programa de inovação bem estruturado e sensível à estrutura atual de sua empresa, entre em contato conosco, teremos um enorme prazer em colaborar com o desenvolvimento comportamental e mudança de cultura em sua empresa! 

Por |2021-02-10T12:17:26-03:0010/02/2021|comportamento empreendedor|

Sobre o Autor:

Christopher Andrade
Agente de Comportamento
Ir ao Topo