É muito comum que, ao pensar em maneiras de evoluir e se desenvolver ainda mais enquanto empreendedor, venha à mente a busca de aprendizagem sobre novas metodologias, modelos de negócio, tendências de mercado e competências técnicas (conhecimentos sobre gestão, administração financeira, marketing, entre outros). Também é muito comum que a capacidade empreendedora de alguém seja relacionada a aspectos mais palpáveis, como formação técnica, tempo de experiência, capital possuído, entre outros aspectos. 

Contudo, nos últimos anos, um aspecto menos palpável e que tem se provado cada vez mais preditor e decisivo para a obtenção de sucesso enquanto empreendedor é o seu comportamento. Esse fator tem sido muito estudado, especialmente em países como Estados Unidos, a partir de pioneiros no tema como David McClelland, que produziu uma série de livros e artigos sobre comportamento e habilidades empreendedoras. Contudo, o assunto ainda é pouco estudado e discutido no Brasil (ainda que esteja em crescimento), sendo fundamental trazermos a conversa sobre a importância do comportamento empreendedor enquanto fator-chave para o sucesso de um empreendimento. Neste artigo, traremos a visão da Troposlab sobre comportamento, baseado em nossos estudos e experiências, ajudando a entender sobre o que se trata o comportamento empreendedor e de que maneira ele afeta a condução de um negócio.

O que é empreender?

Antes de falar de comportamento empreendedor, precisamos entender o que consideramos ‘empreender’ em termos de comportamento. É notório que o ato de empreender tem diversos significados, de acordo com a maneira com que cada pessoa percebe suas motivações para empreender e as ações empreendedoras que executa em seu cotidiano. Para uns, empreender se trata, de maneira simples, da criação e gestão de um negócio. Para outros, se trata da maneira de imprimir suas ideias no mundo, buscando contribuir com a evolução da sociedade por meio de novos produtos e soluções que gerem melhorias no cotidiano das pessoas. Alguns ainda definem o ato de empreender apenas relacionando-o a ações que percebem executar em seu cotidiano de trabalho: liderar pessoas, assumir riscos, formar relações, definir metas…

Todas essas definições são válidas a partir da experiência particular de cada um ao empreender, variando de acordo com o contexto em que isto é feito. Contudo, um aspecto fundamental a se considerar sobre o empreender é de que, independentemente da maneira específica como seja exercido, este se trata de um ato social. Portanto, de maneira mais geral, empreender pode ser entendido como a capacidade que uma pessoa tem de identificar problemas e oportunidades, desenvolver soluções e investir recursos na realização de algo positivo para sociedade (Sebrae, 2016). 

Temos então 3 premissas básicas sobre o empreender:

  1. É caracterizado pela geração de mudanças e impactos;
  2. Pode ser feito de várias formas e classificado em vários tipos;
  3. Acontece necessariamente via comportamentos das pessoas.

Quem é então o empreendedor, em termos de comportamento?

Para se desenvolver e oferecer algo de positivo para a sociedade, a partir da identificação de algum problema ou oportunidade, é necessário realizar ações aliadas a uma atitude para execução de ideias. Logo, o empreendedor é a pessoa que se comporta para realizar seus empreendimentos, estejam eles em formato de ideias, projetos, ou negócios. 

Mas de qual comportamento estamos falando? Simples, todo aquele que aumente a probabilidade de sucesso e eficácia de suas ideias. Neste caso, ideias inovadoras. Em suma, isto implica que o sucesso do empreendedor está diretamente relacionado às habilidades empreendedoras que este possui.

Nós da Troposlab, propomos uma inversão de pensamento, de “se é empreendedor, vai empreender” para “se empreender, precisará ser empreendedor”. Isto é, uma jornada empreendedora de sucesso depende do desenvolvimento de algumas competências específicas daqueles que decidem empreender. O ambiente empreendedor vai exigir, à medida que o empreendedor avançar, que ele desenvolva e aprimore também novas competências e, muitas vezes, é o que mais explica o resultado de seus projetos ou negócios. 

Ainda que a maioria dessas habilidades possam ser tidas como essenciais para qualquer empreendedor, precisamos considerar que existem certas especificidades quanto ao contexto de empreendimento que influeciam no seu comportamento. Reconhecemos que existem diferentes classificações quanto aos tipos de empreendedor, seja por tipo de negócio, mercado de atuação, motivação para empreender, entre outros fatores. Porém, focaremos em abordar nesse post três tipos principais:

  • Empreendedor tradicional: aquele que é gestor do próprio negócio, registrado de maneira formal, comumente sendo gestor de uma equipe e atuando em mercados maiores e mais bem estabelecidos. A obtenção de sucesso para este tipo de empreendedor está relacionada a uma gama ampla e bem desenvolvida de habilidades, uma vez que o empreendedor costuma ter de lidar, por conta própria, com a tomada de decisões e condução geral do desenvolvimento do negócio, sendo o principal responsável por assumir riscos, ainda que conte com o apoio de uma equipe para isso.

É importante destacar que existem diferentes contextos de empreendedorismo tradicional, alguns exigindo ainda mais do empreendedor (em termos comportamentais) do que outros. Entre os tradicionais há aqueles que conduzem estabelecimentos menores e mais estáveis (restaurantes, lojas, salões etc.), e outros que comandam empresas maiores (multinacionais, redes de franquia etc). O segundo contexto costuma ser ainda mais desafiador, uma vez que o empreendedor lidará com mercados maiores, mais complexos, e terá que tomar conta de ainda mais fatores para o desenvolvimento do negócio, possivelmente tendo que assumir riscos maiores. 

  • Empreendedor de startup: aquele que é gestor de um novo negócio, ainda não tão bem estabelecido, que visa criar produtos e soluções inovadoras e, por consequência,  construir seu próprio mercado, visando escalabilidade do negócio. Costumam enfrentar cenários mais desafiadores e de maior risco que empreendedores tradicionais (de negócios mais estáveis), uma vez que estão desenvolvendo algo que é novo, cercado de incertezas quanto às possibilidades de mercado para o produto a ser desenvolvido. O contexto em que se inserem pode exigir ainda mais do empreendedor em termos de habilidades empreendedoras voltadas para o desenvolvimento de soluções criativas, atração de investidores, identificação de oportunidades e coragem para riscos.
  • Intraempreendedor: o profissional que empreende dentro de uma organização – seja atuando em melhorias incrementais de processos internos, no desenvolvimento de novos produtos ou criando novas unidades de negócio, a partir de aberturas para tal. Seu comportamento costuma estar muito associado à cultura da empresa onde atua, bem como os valores e comportamentos que são difundidos e estimulados por esta. A gama de habilidades comportamentais requerida para a obtenção de sucesso nesse meio dependerá da complexidade pela qual o empreendimento se exprime (seja uma ideia, projeto, ou modelo de negócio), e do nível de apoio interno que o empreendedor recebe. Nesse contexto, é comum que o empreendedor esteja alocado em um time empreendedor, possuindo maior suporte no desenvolvimento de seu empreendimento do que um empreendedor de startup, por exemplo.

O que é o comportamento empreendedor, afinal?

Tendo feitas essas considerações sobre o empreender e o empreendedor, podemos afirmar então que, de maneira geral, o comportamento empreendedor diz respeito a um conjunto de competências e habilidades que são necessárias para que um empreendedor aumente as probabilidades de sucesso na realização de seu empreendimento, ideia ou projeto, atuais ou futuros.

Atuar sobre o comportamento do empreendedor torna-se, então, extremamente necessário para que este possa desenvolver maiores chances de obtenção de sucesso, a partir do desenvolvimento de habilidades comportamentais essenciais para a condução de seu empreendimento. O papel do agente de comportamento é trazer um olhar sensível e sistemático para acompanhar os empreendedores de inovação, identificando quais dessas habilidades essenciais e características o empreendedor, de forma individual, ou o time empreendedor, precisa desenvolver para que possam obter o melhor resultado possível. Este é um trabalho ao qual nós, da Troposlab, sempre nos atentamos, capacitando os empreendedores da melhor maneira possível para conduzir seus negócios de maneira eficaz e eficiente.

A diferença entre habilidades técnicas e habilidades empreendedoras

Ao longo de nossas atuações, é muito comum nos deparar com empreendedores que confundam habilidades empreendedoras com habilidades técnicas. Neste sentido, é importante fazermos uma distinção entre esses dois tipos de habilidades:

  • Habilidades técnicas: conhecimentos técnicos e experiências em áreas específicas. São utilizadas em ambientes particulares e objetivam resultados particulares. Por exemplo: habilidades em produção de peças de marketing, projeção financeira, desenvolvimento de materiais de produção, etc.
  • Habilidades empreendedoras: comportamentos que cumprem a função de aumentar as chances de realizar algo. São generalizáveis a diferentes contextos, inclusive extrapolando o ambiente de trabalho. Como por exemplo, habilidades em planejamento geral, em formação e manutenção de relacionamentos, entre outras.

Quais são as habilidades empreendedoras e como desenvolvê-las?

Chegamos a mencionar, na seção anterior, dois exemplos de habilidades empreendedoras fundamentais. Contudo, seria interessante trazer uma definição mais ampla e profunda a partir do que consideramos habilidades empreendedoras, abordando suas classificações e maneiras de desenvolvê-las. Para conhecer tais habilidades e entender como começar a desenvolvê-las melhor, fique atento aos nossos próximos posts sobre comportamento empreendedor! Nesse meio tempo, sinta-se à vontade para consumir outros conteúdos produzidos por nós, da Troposlab, sobre comportamento empreendedor em nosso blog.

E caso você queira desenvolver comportamento empreendedor da sua equipe por meio de um programa de inovação bem-estruturado e sensível à estrutura atual de sua empresa, entre em contato conosco, teremos um enorme prazer em colaborar com o desenvolvimento comportamental e mudança de cultura em sua empresa!