Hoje, assim como em qualquer outro mercado, o mercado de humor depende muito de redes sociais. Seja quando temos comediantes autônomos, seja quando vemos grupos de comédia, é claro o quanto Youtube, Instagram e Tik Tok são importantes para o “modelo de negócio” desses artistas. Utilizo aí as aspas porque dificilmente algum deles tem essa ideia de modelo de negócio clara quando criam as suas ações, embora utilizem muitos elementos de design thinking e prototipação, ainda que de forma inconsciente. E da mesma forma acontece com o conceito de Freemium. 

Pensando sobre esse mercado, me chamou a atenção como algumas “empresas” (grupos de comédia) sofisticaram e aprenderam a utilizar o conceito de Freemium em um mercado onde antes parecia impossível esse formato. Freemium é uma estratégia comum em empresas de software, onde você deixa o seu cliente degustar parte ou todo o seu produto durante um determinado período ou com funcionalidades reduzidas. Assim ele tem o gostinho do que é ter a sua solução e fica mais disposto a comprá-la. Esse modelo pode ser feito de várias formas diferentes:

  • Freemium por tempo – Quando o seu cliente tem acesso a todos as funcionalidades por um período limitado. Ex: Acesse a Disney Plus de forma gratuita por 30 dias.
  • Freemium por funcionalidade – Quando você dá acesso a funcionalidades básicas de forma gratuita para criar planos pagos com mais funções. Ex: LinkedIn e LinkedIn Premium.
  • Freemium por uso – Quando você deixa o seu cliente usar seu produto de forma gratuita até que ele se torne um heavy user. Ex: Google Cloud – Plano gratuito para um uso menor, e a partir de determinada quantidade de armazenamento um valor é cobrado.

Enfim, existem vários formatos que servem de base para que as empresas usem a sua criatividade na hora de criar estratégias.

E é isso que, mesmo sem conhecer o conceito de Freemium, alguns grupos de comédia fizeram. Trago 3 casos para exemplificar:

  1. Companhia de Comédia Barbixas: Os Barbixas são o maior grupo de improvisação do Brasil. Surgiram em 2004 e em 2008 criaram seu espetáculo Improvável que está em cartaz desde 2008 com várias sessões semanais em todo Brasil. Como trabalham com improvisação, nenhum espetáculo é igual ao outro e o texto e as piadas sempre mudam. Por isso, tomaram a decisão de sempre colocar no seu canal do Youtube os melhores trechos do espetáculo. Com isso, conseguiram que novos fãs (clientes) entrassem em contato com o espetáculo (produto) de forma gratuita na internet e virasse clientes pagantes nas apresentações presenciais.
  2. Companhia de Comédia Melhores do Mundo: Grupo fundado em 1995, com mais de 30 espetáculos diferentes. Rodam o país e o mundo lotando teatros com seus textos. Apesar da grande qualidade dos espetáculos, foi um acaso que levou eles ao modelo freemium. No início da internet ainda era muito difícil controlar a autoria de materiais postados na rede (até hoje é, mas as grandes plataformas já possuem mecanismos para remunerar direitos autorais). Por isso, fãs do grupo começaram a gravar trechos dos espetáculos e até mesmo o espetáculo inteiro e colocar na internet. Ao invés de brigar contra isso, eles seguiram uma estratégia de criar conteúdos específicos para cidades que visitavam (piadas que eles mudavam os times de futebol ou os bairros que eram citados) e aumentaram os momentos de improviso quando algo sai do normal (por exemplo quando alguém levanta no meio do show). Isso rendeu um ótimo conteúdo gratuito para sentir a experiência do espetáculo, porque aquele momento de improvisação ou de piadas daquela semana ou daquele local podem ser compartilhados sem estragar a surpresa da história do espetáculo.
  3. Grupo 4 Amigos Stand up Comedy: Grupo de stand up comedy fundado em 2014, se tornou o maior grupo do gênero no Brasil levando para a platéia um público que não estava acostumado a frequentar teatros. Nesse gênero, divulgar o seu texto nas redes sociais é o mesmo que acabar com a piada para o seu público. Não faz sentido a pessoa pagar para ir no show ver as mesmas piadas que conheceu na internet. Por isso o grupo inventou um quadro só com piadas feitas na semana dentro de um mesmo tema, a Fila de Piadas. Nesse momento do show, cada um faz poucas piadas em cima do tema da semana (amigo, família, carro, etc). Como são 4 pessoas, a junção de 2-3 piadas de cada um rende um quadro interessante e diverso. Esse quadro não se repete, porque na semana seguinte o tema é outro. E é isso que eles usam como o Freemium. Colocam esse conteúdo na internet de forma gratuita no Youtube e com isso conseguem cada vez mais fãs. Depois de 150 filas de piada diferentes, mudaram o quadro, mas continuando com o formato de mudança de temas e piadas da recém escritas.

Isso nos mostra que mesmo em situações onde temos dificuldade de imaginar as estratégias de marketing, elas estão presentes e ajudam muito no sucesso dos produtos.


Faça parte da nossa rede de startups

Por |2022-04-06T08:54:25-03:0006/04/2022|empreendedorismo|

Compartilhe! Escolha a sua plataforma!

Atuo no mundo da inovação desde 2008. Já atuei em incubadora, consultoria e aceleradora, acelerando mais de 900 startups. Sou formado em Ciências Biológicas e Especialista em Gestão, e por isso gosto de misturar mundos diferentes para trazer mais inovação para o meu dia-a-dia. Coordeno os programas da Troposlab e crio novas metodologias de aceleração, atuando diretamente com mais de 50 grandes empresas. Além disso, tenho um lado nerd (ficção científica, heróis, histórias de aventura, etc).
Ir ao Topo