Se você transita por um ecossistema de inovação e tecnologia, certamente já se deparou com a palavra Scrum em algum momento de sua rotina. O Scrum, nada mais é do que um framework, ou conjunto de ferramentas, que foi desenvolvido para ajudar equipes a trabalharem juntas, de maneira fluida e praticando os princípios de agilidade (já falamos sobre ele e mais várias outras ferramentas ágeis anteriomente aqui.)

Entenda o conceito

O nome Scrum, é derivado do universo do Rugby, um esporte coletivo olímpico, onde são realizados Scrums, uma reunião breve, antes de os jogadores iniciarem um lance.

Embora este framework tenha sido incialmente pensado para equipes de desenvolvimento de software, ele vem ficando cada vez menos descritivo e mais generalista, abarcando novas áreas de aplicação. 

A estrutura do Scrum é heurística, ou seja, é baseada no aprendizado contínuo que tem como premissa se reinventar, repetitivamente, para entregar o melhor resultado. O reconhecimento de que a equipe não sabe tudo no início de um projeto, e de que a evolução virá a medida em que for adquirindo experiência, é um dos pilares da ferramenta. A metodologia funciona com base em ciclos de produção e avaliação contínuos, realizados para aperfeiçoar um produto, ainda durante a fase de produção.

Quando pensamos em projetos e clientes sabemos que cada um deles tem uma particularidade diferente e que, por isso, o desenrolar de um projeto pode esbarrar em fatores de risco até então, desconhecidos. O Scrum promove a repriorização integrada no processo e ciclos curtos de compartilhamento para que a equipe aprenda e melhore constantemente.

Buscando priorizar a criatividade e a fluidez nos processos, o Scrum segue seis princípios básicos:

  • Colaboração;
  • Orientação a objetos;
  • Flexibilidade dos resultados;
  • Flexibilidade dos prazos;
  • Times menores;
  • Revisões Constantes.

E como o Scrum funciona na prática?

Considerado por muitos como uma estrutura de gestão de projetos ágeis, o Scrum descreve um conjunto de reuniões, ferramentas e pessoas que atuam juntos para ajudar as equipes a organizarem e gerenciarem o trabalho.

Para entender melhor como funciona o framework, vamos definir os principais papeis de quem participa do projeto, componentes ou eventos do Scrum.

Scrum team: É o grupo de pessoas que vai desenvolver o projeto. De acordo com os valores adotados pelo Scrum, cada membro da equipe tem autonomia para definir ou redefinir suas atividades. Os membros da equipe têm diferentes conjuntos de competências, que agregam para uma conclusão rápida e eficaz do Sprint. Normalmente as equipes de Scrum são pequenas, entre 5 a 7 pessoas, garantindo uma comunicação transparente e rápida e facilitando a tomada de decisão.

Product Owner: É a pessoa responsável por garantir que a equipe de desenvolvimento do projeto cumpra com a entrega agregando o máximo de valor ao produto. O dono do produto elabora e faz a gestão do backlog do produto (que será definido adiante no artigo), sendo um representante do cliente no projeto. Com base nas necessidades do cliente e do mercado, ele consegue priorizar e compreender claramente o que deve ser feito no backlog de produtos para orientar o time.

Scrum Master: É o líder servidor, que remove os impedimentos e garante que os ritos previstos no framework sejam aplicados. O guardião da metodologia. O papel de Scrum Master varia muito de acordo com o momento do projeto ou com a evolução do time, mas é ele quem habilita o time para que tome as decisões certas.

O Scrum funciona em torno de eventos organizados e performados pela equipe que falamos acima. Agora vamos falar um pouco sobre como estes eventos acontecem.

Preparação do backlog: Basicamente, o Product Owner deve orientar a equipe em direção a visão do produto, sempre considerando mercado e cliente. Ele mantem uma lista de backlog de produto, onde revisa, reprioriza e atualiza os afazeres da equipe dentro dos sprints, de acordo com as constantes mudanças de projeto.

Sprint: Um sprint é o período em que o Scrum team trabalha em conjunto para concluir uma meta de projeto. A ideia é completar o processo com a menor quantidade de recursos e tempo possíveis, por isso, costumam durar poucas semanas.

Algumas equipes optam por performar o Sprint em uma semana, por ser mais fácil de controlar riscos, ou um mês, por ser mais fácil de entregar um produto de maior valor.

Planejamento de sprints: A reunião de planejamento é, geralmente, conduzida pelo Scrum Master, abrange o escopo do Sprint atual com toda a equipe.
Ao final da reunião de planejamento, cada membro do Scrum precisa esclarecer o que pode ser apresentado no sprint e como o incremento, meta, ou produto final,  podem ser entregues.

Daily Scrum: O objetivo da reunião diária é garantir que todos os integrantes da equipe estejam atualizados com as mesmas informações para que o projeto siga com agilidade. 

Durante esse encontro, cada membro do Scrum team normalmente responde as seguintes questões:

  • O que eu fiz ontem?
  • O que eu planejo fazer hoje?
  • Existe alguma barreira para o cumprimento das tarefas?

Sprint Review: Ao final do Sprint a equipe verifica se o objetivo do processo foi atingido.

Retrospectiva de sprint: É o momento que contempla uma avaliação rápida sobre os erros e acertos do sprint, sendo estratégica para a melhoria contínua da equipe, produto e processo.

Por fim…

Para aqueles que estão acostumados com outro tipo de modelo de acompanhamento de projeto, o framework pode parecer desafiador e, por muitas vezes, repetitivo e exaustivo. Porém, as rápidas entregas mantêm a equipe motivada e os clientes satisfeitos.

O Scrum cria um ambiente favorável à colaboração e ao aprendizado, estimula o gerenciamento de riscos e diminui as falhas no processo, além de focar na satisfação do cliente e reduzir o tempo de entrega do produto.

Podemos explorar também as métricas utilizadas para o acompanhamento de performance no Scrum, a diferença para outros frameworks ágeis e os maiores benefícios práticos da metodologia, mas estes são assuntos para os nossos próximos encontros.


Quer saber como adequar o uso das metodologias ágeis, como o Scrum, à realidade da sua empresa? Fale com a gente!

Compartilhe! Escolha a sua plataforma!

Engenheira, Pós graduada em Finanças, completamente apaixonada por pessoas! Durante muitos anos trabalhei em grandes industrias e empresas nacionais e multinacionais de diversos setores. Atuei em áreas completamente distintas, mergulhei em ambientes que me tiravam da zona de conforto diariamente. Convivi com pessoas sensacionais que me instigaram a conhecer mais sobre tudo! Hoje, trabalho para ajudar pessoas e negócios a se tornarem inovadores e extraordinários. Meu prazer está em conhecer novas histórias e fazer parte delas.
Ir ao Topo