O cenário atual evidencia ainda mais diversos problemas que são resultados da desigualdade social que vivemos no Brasil e no mundo. Deixa mais exposto  o papel e a responsabilidade de cada organização na sociedade, além de começar a ficar mais claro quem está preocupado em atuar para resolver problemas socioambientais com inovação e quem não está.

Pensar que as questões socioambientais não são nossa responsabilidade ou, então, que a organização tem outras prioridades, pode colocar em risco o futuro dos negócios. Os problemas socioambientais são de todos nós, pois, vivemos em sociedade, somos interdependentes e necessitamos trabalhar em colaboração. E a inovação é fundamental para encontrarmos as soluções mais adequadas e melhorar a sociedade em que vivemos.

As organizações que atuam diretamente com inovações socioambientais ainda estão normalmente conectadas ao terceiro setor ou à filantropia, porém já existe uma boa quantidade de empreendimentos que apresentam soluções inovadoras para problemas socioambientais e que conseguem, ao mesmo tempo, ter um negócio rentável. Há também grandes empresas com excelentes casos de sucesso de um produto ou serviço que vai além de trazer apenas retorno financeiro e beneficia a sociedade por meio de um impacto positivo, unindo lucro e responsabilidade socioambiental como prioridades, o que é transformador para milhares de pessoas.

Para conseguir essa união é necessário compreender melhor o que é inovação social

“Uma solução inovadora para um problema social que seja mais efetiva, eficiente e sustentável na comparação com as outras opções de soluções já existentes, na ótica da sociedade (coletividade) e não dos indivíduos. Uma inovação social pode ser um produto, processo de produção ou tecnologia (bem como a inovação em geral), mas também pode ser um princípio, uma ideia, uma legislação, um movimento social, uma intervenção ou alguma combinação entre eles.”

Stanford Social Innovation Review, Phills, Deiglmeier e Miller, 2008. 

A inovação social também é um elemento presente na inovação Frugal que endereça e impacta os principais tipos de restrições nos mercados emergentes, como a restrição de recursos, vazio institucional ou necessidades da base da pirâmide. Assim, é comum que para viabilizar uma inovação tecnológica de impacto, tenhamos que implementar inovações sociais que as sustentam.

É possível ter impacto positivo e lucro com um negócio inovador

Em várias empresas é muito comum separar o negócio das ações de impacto na sociedade, pode ser através de um instituto, uma ONG parceira ou mesmo com um programa interno de voluntariado. Existem vários exemplos de que isso funciona bem, portanto, não queremos dizer aqui que essas iniciativas devem parar. A provocação é sobre como conseguir que essas ações focadas em impactos positivos se conectem mais com o serviço ou produto principal da sua empresa.

Uma das formas de colocar isso em prática é por meio de programas de inovação que priorizam as ideias que, além de focar no crescimento do negócio, também consideram como prioridade os impactos socioambientais e o crescimento da sociedade como um coletivo.

É necessário compreender que se o seu negócio não beneficia a sociedade de alguma forma, a chance dele sobreviver será pequena, pois como já dito, há uma relação interdependente entre as organizações e as pessoas que vivem na sociedade.  Isto é, se a sociedade tem um grave problema social ou ambiental isso vai afetar o seu negócio agora ou em algum momento, já que tudo está conectado.

E nesse cenário de incertezas, não se preocupar com os impactos que seu negócio tem, só piora a situação para todos. Enxergar que temos responsabilidades coletivas, e considerá-las no momento de trabalhar a inovação nas organizações é urgente e necessário para transformar de fato a realidade atual e construir um futuro melhor para sua organização e sociedade. Uma boa forma de começar é conhecer os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pela ONU com objetivo de criar uma agenda de impacto para 2030, você pode buscar aqueles que orbitam as interações de seus produtos e serviços, entendendo se já existe um impacto que pode ser potencializado ou uma relação na qual o impacto pode ser ancorado. 

 

Por |2021-05-03T10:52:27-03:0029/07/2020|impacto|

Compartilhe! Escolha a sua plataforma!

Sobre o Autor:

Sou graduado em Processos Gerenciais e um eterno aluno da universidade da vida. Tenho experiência em gestão de projetos de inovação, com mais de uma década atuando em empresas multinacionais de bens de consumo, onde tive a oportunidade de conhecer diversas áreas, mercados e modelos de negócio diferentes. Além disso tenho outras paixões como mergulho, capoeira, sou muito curioso pelo mundo dos insetos e estudo agrofloresta e permacultura por curiosidade.
Ir ao Topo