• Como superar o básico da inovação

Por que a inovação parece não dar resultado na minha empresa? Quando falamos sobre inovação para nossos clientes na Troposlab, costumamos fazer referência a alguns problemas e desafios que ela enfrenta em grandes empresas. Um desses problemas é o que chamamos de “Efeito Rainha Vermelha”, em que a empresa faz “apenas” o básico para inovar e o impacto gerado não é o esperado, apesar de “acharmos” que estamos inovando. Vou falar um pouco sobre isso aqui.

A expressão vem de “Alice no Pais do Espelhos”, do escritor Lewis Carrol. Em dado momento, a personagem Alice está caminhando, mas o vento contrário faz com que não saia do lugar. A Rainha Vermelha explica que para sair do lugar Alice teria que caminhar duas vezes mais rápido.

A analogia é a seguinte: todos estão buscando inovar para melhorar sua competitividade e gerar resultados, a maioria está aplicando “mindset ágil”, design thinking e outras metodologias, mas para se destacar e ter um real impacto em um cenário no qual todos estão “inovando”, é preciso superar esse básico.

O básico para inovar

De forma ampla, algumas ações estratégicas já são comumente consideradas pela maioria das grandes empresas ao fazer a gestão de sua inovação, como por exemplo:

  • Aproximar-se de startups e/ou centros de pesquisa como forma de inovação aberta para resolver desafios específicos de mercado ou internos
  • Realizar programas de intraempreendedorismo para estimular o pensamento empreendedor em seus colaboradores, a resolução de problemas e criação de soluções inovadoras
  • Organizar projetos de acordo com estágio e complexidade, assim como o envolvimento das lideranças no apoio ao desenvolvimento de cada um

Se você trabalha na área de inovação ou de desenvolvimento de pessoal (RH) de uma empresa que se diz inovadora, provavelmente já está inteirado dos tipos de ação que eu citei acima. Porém, se não for esse o caso, sugiro baixar o Guia Básico para Inovação Tecnológica para Empresas, preparado pela Troposlab, pois é muito importante que você esteja por dentro e aplique esses conceitos desde já!

Mesmo assim, se você parar apenas nesses elementos, ocorrerá o mesmo que à Alice no País do Espelhos, sua empresa irá caminhar na inovação, mas não sairá do lugar, os projetos parecem não dar resultados e ao final tudo parecerá igual ao que era antes.

Relacionando às três ações que eu havia citado antes, talvez ocorram situações como:

  • Os processos da empresa não estão adequados à interação com as startups e o trabalho como um todo parece render pouco por falta de preparo dos colaboradores
  • Ao realizar programas de intraempreendedorismo, após sua conclusão, os colaboradores voltam à rotina e os projetos avançam pouco ou simplesmente desaparecem
  • Os líderes estão interessados no tema, mas ficam em dúvida sobre como exatamente auxiliar os projetos, não têm tempo para dedicar a isso e os resultados não são os que eles esperavam

Há várias formas de superar esse cenário. Gostaria de citar aqui o que a Troposlab tem realizado com seus clientes para isso. Vale a pena conferir um pouco dessa história. Mas vou falar aqui de duas coisas, ou dicas, que podem fazer uma boa diferença nos resultados gerados e que já começam a ir além do básico para a inovação na sua empresa. 

Superando o básico na Gestão da Inovação

Uma vez que já há o compromisso estratégico da empresa em inovar, metodologias e ferramentas foram introduzidas nas capacitações com colaboradores e já foram identificados desafios com os quais trabalhar, o básico para inovar já está pronto. Sobre essa base é que começa o verdadeiro trabalho, construir uma Cultura de Inovação e Empreendedorismo dentro da empresa, que é o elemento que dará perpetuidade às iniciativas para inovar.

Dica 1: Considere todos os elementos da estratégia para inovar

Vale recordar aqui dos principais elementos para uma boa estratégia de inovação, que destacamos neste artigo, quais sejam:

  • Recursos
  • Processos
  • Valores

A cultura de uma empresa está intimamente relacionada dentro da dinâmica desses elementos, então vale a pena tê-los em conta. O erro comum aqui é que normalmente são observados somente os “Processos” e talvez os “Recursos”, mas raramente considerados os “Valores” na estratégia, que são justamente o mais próximo do desenvolvimento de cultura.

Quando é criado um programa de intraempreendedorismo, por exemplo, está sendo criado um “processo” para inovar, mas se os “valores” da empresa estão somente direcionados a projetos que darão retorno no curto prazo para empresa, é possível que as melhores oportunidades de inovação – as mais radicais ou disruptivas, que irão garantir a sobrevivência e competitividade da empresa no longo prazo – sejam ignoradas.

Não necessariamente os projetos gerados são ruins, mas os resultados ficarão mais no ramo da inovação em “melhoria contínua” e podem ser os esperados pelos líderes ou não aproveitam o potencial máximo da empresa quando o assunto é inovação.

Na Troposlab usamos uma abordagem única para gerar os novos valores necessários para que a inovação seja produtiva e prática, por meio de nossas ferramentas, mentorias e acompanhamento estratégico não só dos projetos, mas também das pessoas envolvidas neles. Por isso dizemos que somos uma aceleradoras de negócios, projetos e pessoas! A dica dois vai falar um pouco mais sobre isso.

Dica 2: Comportamento Empreendedor – crie pessoas inovadoras e não projetos inovadores.

Entre os vários elementos que configuram uma boa oportunidade para inovar ou levar à frente um novo projeto, ter uma boa equipe para realizá-lo sempre é um fator importante. Para grandes empresas, o melhor caminho costuma ser capacitar os colaboradores no pensamento inovador e empreendedor, uma vez que o conhecimento técnico e próximo de quais são os desafios e problemas enfrentados no dia a dia da empresa, que é o mais difícil de desenvolver, eles já possuem.

Porém, isso não pode ser feito de qualquer jeito. Há metodologias e técnicas científicas que têm mostrado resultados promissores para desenvolver o que chamamos de comportamento empreendedor. A Troposlab tem um núcleo de pesquisa em parceria junto à UFMG, focado especificamente no tema, tamanha a importância e relevância que acreditamos que ele tomará no futuro para o desenvolvimento da inovação em grandes empresas.

De forma bem resumida, separamos as habilidades a serem desenvolvidas em dois tipos:

  • Técnicas: envolve os conhecimentos e experiências da área específica em que cada um atua, mais ligadas ao “como fazer” as coisas, como conhecimentos de marketing, informática etc.
  • Empreendedoras: envolve o conjunto de comportamentos que aumentam as chances de algo ser feito, o “por que fazer” as coisas, como habilidades de planejamento, formação de relacionamentos etc..

Se sua estratégia de inovação não considera o desenvolvimento de habilidades empreendedoras, há grandes chances de os projetos e iniciativas para inovação em sua empresa permaneçam no básico, não gerem os resultados esperados e sejam esquecidos assim que o programa de incentivo finalizar. 

Conclusão: Até em inovação é preciso inovar

Neste artigo eu apontei apenas alguns elementos que ajudam a superar o básico ao implementar uma estratégia ou programa para inovação em sua empresa. A grande questão é que no mundo dinâmico que vivemos, novas formas de realizar inovações surgem a todo momento. De certa forma, até quando o assunto é “inovação” é preciso inovar.

Portanto, busque sempre formas novas de realizá-la em sua empresa. Como líder de inovação ou de RH, você precisará analisar e sentir o feedback de dos colaboradores, líderes e demais envolvidos na realização da estratégia da empresa, verificando sempre os novos elementos necessários para a próxima iteração da estratégia.

É claro que isso é um desafio! Afinal, são muitos fatores para considerar e muito a pesquisar. Por isso pode ser uma boa estratégia ter o auxílio de pessoas que estejam imersas no que há de mais novo dentro do mundo da inovação e que ajudam a criá-lo, gerando novas tendências. Isso é algo inerente à história da Troposlab, que sempre esteve presente no desenvolvimento de um novo futuro para as empresas do Brasil e do mundo. Conheça um pouco da nossa história.

E se você acredita que o potencial de inovação da sua empresa é bem maior do que os resultados têm demonstrado, conte com nossos serviços para levá-la ao próximo nível e realizar seu potencial. Preencha o formulário abaixo e fale um pouco sobre como podemos ajudá-lo. 

Por |2021-05-28T16:30:56-03:0027/05/2021|gestão da inovação|

Compartilhe! Escolha a sua plataforma!

Sou engenheiro, empreendedor e mentor de startups. Já dei mentoria para mais de 230 startups e projetos, em mais de 30 programas de inovação. Sou especialista em modelagem de negócios e ajudo pessoas a empreender. Gosto de tocar violão, faço trocadilhos (que os colegas de trabalho adoram...) e sou bem nerd (com jogos de computador, Star Wars e tudo mais). Mas também sou interessado pela vida humana, estudante de Logosofia e eterno aspirante ao saber, inquieto com o Universo e seus mistérios.
Ir ao Topo